terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Carlos Abreu preocupado



Dado que é um assunto bastante importante e do interesse de todos, assunto este que tem de ser debatido, e que tem sido tema de conversa nos últimos dias ( A esta hora, está a decorrer uma reunião na Junta de Freguesia, com a presença de todos os pais que os filhos estejam a estudar na Escola Eb1 Largo da Feira e Escola Eb1 Montes Herminios ), deixo aqui uma entrevista do presidente da Junta, D. Carlos Abreu, à Radio Cova da Beira.

O presidente da junta de freguesia do Tortosendo não poupa nas críticas à direcção regional de educação do centro e ao instituto de emprego e formação profissional. Em causa o facto de não ter sido autorizada a continuidade dos trabalhadores que desenvolvem funções não lectivas nas escolas do primeiro ciclo ao abrigo dos programas ocupacionais.
Das 18 pessoas contratadas para apoiar as actividades não lectivas nas 2 escolas do 1º ciclo da vila apenas 7 se mantem em funções. Uma situação que também afecta o funcionamento da cantina escolar que serve diariamente refeições a 70 crianças.
Para o presidente da junta de freguesia do Tortosendo, esta situação "vai trazer dificuldades ao funcionamento normal das actividades lectivas uma vez que as cerca de 200 crianças que frequentam as 2 escolas vão ficar sem o devido acompanhamento".
Carlos Abreu acrescenta que "desde que o actual executivo da junta tomou posse, envidámos todos os esforços para evitar que esta situação acontecesse mas o instituto de emprego vedou-nos a proposta de continuidade que apresentámos para que os trabalhadores não docentes ao abrigo dos programas ocupacionais pudessem manter-se em funções".
O autarca garante que a junta de freguesia "já apresentou uma nova candidatura de programas ocupacionais ao instituto de emprego" mas,caso seja aprovada, espera que "o ministério da educação assegure a sua parte na comparticipação financeira uma vez que a alteração da lei obriga a que a junta, para além dos subsídios de transporte e refeição e dos seguros, seja responsável pelo pagamento de 20 por cento do valor total do salário uma vez que essa situação é incomportável do ponto de vista financeira uma vez que não recebemos qualquer valor para esse efeito e até agora tem sido a junta de freguesia a subsidiar o ministério".

Carlos Abreu considera ainda que a freguesia do Tortosendo "está a ser marginalizada pela direcção regional de educação noutros aspectos como o pavilhão para a prática de educação física na escola EB 2/3; se querem construir o equipamento, muito bem; agora o que não podemos compreender é que exista um pavilhão com todas as condições a 50 metros da escola e a DREC não autorize que os alunos ali realizem as aulas de educação física".



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clica nas Mensagens Antigas

Clica nas Mensagens Antigas

Número total de visualizações de página