segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

David Silva não se demite

Tortosendo David Silva












O presidente da junta de freguesia do Tortosendo garante que não vai renunciar ao mandato para que foi eleito. A assembleia de freguesia esteve reunida pela quarta vez, mas os membros daquele órgão voltaram a chumbar a proposta do presidente da autarquia para a eleição dos vogais da junta por seis votos a favor e sete contra.

No final da reunião o autarca sublinha que, não existindo condições para a eleição dos vogais, a junta de freguesia vai ficar a funcionar em gestão corrente. Um cenário que de acordo com Ondina Gonçalves, eleita da CDU, não é dramático “falou-se aqui na questão das escolas mas a câmara pode ser ela a fazer os contratos de programas ocupacionais e garantir a continuidade da componente de apoio à família; durante 16 anos nada foi feito no Tortosendo e por isso não se venha dizer que é esta situação que está a bloquear a freguesia porque o presidente da junta mostrou bem que não quer nada connosco ao propor apenas nomes de elementos que integraram a sua lista”.  
Já o primeiro eleito do PS considera que o presidente da junta de freguesia se está vitimizar em todo este processo. Rogério Evaristo sublinha que esta assembleia de freguesia não passou dum golpe de teatro “isto foi feito para dar o resultado que deu uma vez que se o presidente da junta quisesse outro resultado teria apresentado uma proposta diferente com membros das outras listas”.  
David Silva rejeita as críticas de vitimização neste processo e garante que não vai renunciar ao mandato “isso seria trair a confiança que os tortosendenses depositaram em mim e na minha equipa no passado dia 29 de Setembro e por isso apresentar a renúncia ao cargo é um cenário que nunca me passou pela cabeça; irei agora reflectir em conjunto com os elementos da minha equipa antes de definir os próximos passos a dar”. O presidente da junta de freguesia do Tortosendo acrescenta que “vamos estar apenas em gestão corrente e não podemos aceitar delegação de competências da câmara municipal a partir do próximo mês de Janeiro uma vez que as forças políticas da oposição continuem a obstaculizar o normal funcionamento da junta de freguesia; naturalmente que irei dar conta do resultado desta votação ao presidente da câmara municipal da Covilhã e coloca-lo ao corrente do que se está a viver na nossa vila”.
Para já ainda não foi marcada nenhuma data para a realização duma nova reunião. Questionada sobre a manutenção deste impasse no final da assembleia a eleita do PSD, Edna Gregório, não quis fazer quaisquer declarações sobre o assunto.

Retirado de: RCB

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clica nas Mensagens Antigas

Clica nas Mensagens Antigas

Número total de visualizações de página