quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Sem solução à vista - Cenário de eleições intercalares

eleições intercalares








Cenário de eleições intercalares na freguesia do Tortosendo está em cima da mesa. Depois de três reuniões a assembleia de freguesia ainda não conseguiu chegar a um consenso sobre a eleição dos quatro vogais que vão integrar a equipa executiva neste mandato.

A assembleia de freguesia do Tortosendo esteve reunida pela terceira vez mas ainda não conseguiu eleger os vogais que vão fazer parte da equipa executiva durante os próximos quatro anos. O presidente eleito da junta de freguesia apresentou três propostas diferentes; a primeira com dois elementos da sua lista e outros tantos do PS. Na segunda proposta dois membros da equipa “Acreditar Tortosendo” e dois da CDU. Na terceira proposta, David Silva incluiu no elenco do executivo um eleito do PS, outro da CDU e dois da lista que encabeçou. Todas as propostas foram reprovadas com cinco votos a favor e oito votos contra.


Face ao impasse gerado, Edna Gregório, eleita do PSD, refere que a realização de eleições é uma forte hipótese “eu estou de acordo com a realização de eleições intercalares e acho que devemos ir com isso para a frente uma vez que parece que não vai haver entendimento; se o senhor presidente da junta estiver de acordo connosco e confiar em nós para haver concordância com todos tudo estará bem; caso contrário vamos votar sempre contra”.
Já a primeira eleita da CDU lamenta a postura intransigente do presidente da junta de freguesia em não respeitar os resultados eleitorais e aceitar governar em minoria na autarquia “ninguém lhe quer o lugar de presidente nem obstaculizar qualquer solução”. Ondina Gonçalves garante que todas as forças políticas querem contribuir para o progresso da vila e espera que David Silva possa rever a sua posição “aquilo que as populações disseram nas urnas é que querem uma mudança e não que tudo fique na mesma e por isso não compreendo porque é que o presidente da junta não aceita a nossa ajuda em querer fazer as coisas”
Também o primeiro eleito do PS não exclui o cenário de eleições intercalares. Embora se mostre mais favorável a um entendimento na actual conjuntura “isso seria o melhor cenário para todos” Rogério Evaristo admite que essa pode ser a única forma de ultrapassar o impasse “se não houver outro remédio temos de caminhar para ai”.
Um cenário que, para já, o presidente da junta de freguesia não quer colocar. David Silva entende que a realização de eleições intercalares “seria o pior caminho a seguir no Tortosendo e seria trair a vontade que os cidadãos expressaram nas urnas; agora se há um entendimento das forças políticas da oposição nesse sentido, tem de o dizer com clareza às populações”.
O autarca acrescenta que “as propostas que fiz hoje são o entendimento que tenho procurado desde a realização das eleições; mesmo seguindo o método de hondt, tal como as forças da oposição defenderam num comunicado que foi distribuído, a sua aplicação dá sempre para dois elementos da lista «acreditar», um para o PS e outro para a CDU e aquilo a que assistimos é apenas a uma tentativa de obstaculizar o trabalho da junta de freguesia que, nestas circunstâncias, apenas pode efectuar actos de gestão corrente”.
David Silva vai reunir em breve com o presidente da câmara da Covilhã para analisar a situação e vai solicitar um parecer à CCDR afim de definir uma data para a convocação duma nova reunião da assembleia de freguesia.

Retirado de: RCB

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clica nas Mensagens Antigas

Clica nas Mensagens Antigas

Número total de visualizações de página