quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Aplicação informática no CHCB melhora cuidados de saúde prestados aos doentes com dor crónica

Tortosendo





















Vai ser testada, nos próximos meses, no Centro Hospitalar Cova da Beira no âmbito de um ensaio clínico, uma aplicação informática que melhora os cuidados de saúde prestados aos doentes com dor crónica.
A aplicação foi desenvolvida, nos últimos três anos, por Nuno Pombo, Engenheiro informático, natural do Tortosendo, no âmbito da tese de doutoramento na Universidade da Beira Interior.
A aplicação pode ser usada pelos pacientes para interagir com o médico e permitir, desta forma, a obtenção de dados de apoio à decisão clínica em tempo real. A sua utilização potencia a redução da ida dos pacientes ao hospital, alteração da medicação sem recurso a uma consulta presencial e a redução do tempo de internamento hospitalar.
A DoctorMobille, desenvolvida em parceria com a PT e com o Sapo, foi testada no ano passado – entre Maio e Dezembro – na Unidade de Cirurgia de Ambulatório do Hospital Sousa Martins, na Guarda, em 80 doentes com dor aguda.
Segundo Nuno Pombo, “os resultados são animadores e os estudos vão prosseguir” com o objetivo de melhorar o programa que já despertou o interesse do ministério da Saúde, em Portugal, e de dois hospitais estrangeiros “nomeadamente no Reino Unido e do Sudoeste Asiático, aqui no CHCB já está programado a realização de um ensaio clinico com pacientes com dor crónica, e irá ter uma duração de 3 a 6 meses, um ensaio cuja monitorização irá ter uma consolidação mais sólida e mais consistente acerca das potencialidades deste sistema”.
O DoctorMobille é uma aplicação para smartphones e tablets usada por pacientes, conjugada com um programa informático, usado por médicos, que recebem os dados em tempo real e podem decidir, instantaneamente, o que o paciente deve fazer “ que através desta aplicação irá confirmar a medicação a tomar, a hora e irá complementar essa informação com o registo de dor que está a sentir, os dados irão ser analisados, posteriormente, pelos médicos que vão ter um sistema computorizado que permite processar esta informação e gerar conhecimento que servirá de apoio à decisão médica”, explica.
Segundo Nuno Pombo, a aplicação vai chegar ao mercado, ainda em 2014, através de uma Spin-Of a criar no Departamento de Informática da Universidade da Beira Interior.
Com o ensaio clínico no Centro Hospitalar Cova da Beira, Nuno Pombo espera “uma confirmação mais sólida e abrangente” dos dados obtidos no primeiro estudo que demonstrem as potencialidades deste sistema.
A dor crónica é reconhecida como um grave problema de saúde pública com impacto significativo na qualidade de vida das pessoas e enormes custos individuais e sociais. Em Portugal, o impacto socioeconómico da dor crónica é estimado em 1,6 mil milhões de euros/ano, custo que atinge os 3 mil milhões de euros quando somados os gastos com incapacidades temporárias e reformas antecipadas.
Retirado de: Rádio Covilhã

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clica nas Mensagens Antigas

Clica nas Mensagens Antigas

Número total de visualizações de página